• 1.png
  • 3.png
  • 4.png
  • 5.png
  • 6.png
  • 7.png
  • 8.png
  • pe2.png



Equipe Diocese São Luíz


Pe. Aguinaldo Assunção Neves




Ordena??o Diaconal: 2006-03-18
Ordena??o Sacerdotal: 2006-06-30
E-Mail: jauru@diocesedecaceres.com.br
Idade:38anos
Endereço: Av. Padre Nazareno , 294 Cx. Postal 25, Jauru-MT 78.255-000
Telefone: (65) 3244-1246
Paróquia: Paróquia Nossa Senhora do Pilar, Jauru - Pároco: Pe. Haroldo Renoutt Quintiliano





BIOGRAFIA



São muitos os testemunhos de pessoas que dedicam sua vida a Deus, assim como a minha história vocacional que começa na minha linda e abençoada família. Sou oriundo de uma família católica e sétimo filho entre nove irmãos (6 homens e 3 mulheres). O segundo irmão Joaquim Conrado Neves faleceu aos 2 anos de idade. Meus pais são mineiros: Manoel Conrado Neves e Joana Maria da Assunção. Sou natural de Rio Branco–MT, porém, com residência em Salto do Céu–MT.



Na simplicidade dos meus pais e dos meus avós paternos, como nos demais lares, recebi a educação da fé, dos princípios básicos para ser um bom cristão. A Escola e a Igreja sempre foram os pilares na educação dos filhos.  Recebi os sacramentos da Iniciação Cristã na Paróquia N.S. Penha e, no tempo oportuno, o Sacramento da Ordem. Sempre dediquei os serviços à comunidade junto aos sacerdotes, religiosas  e leigos. Isso contribuiu no florir de minha vocação. Não saberia dizer se sempre eu quis ser padre, mas algo me despertava para este ministério.



 Muitas lembranças me marcaram durante a caminhada na Igreja e que muito contribuiu no processo de discernimento vocacional. Destaco aqui a presença do Pe. Theodoro Briend, pelo qual fui batizado e me instruiu na fé até à primeira Eucaristia, juntamente com Irmãs Religiosas. Após seu retorno para França, Pe. Pedro Antonio de Souza (In Memoriam) assumiu a paróquia. Meu caminho vocacional foi preparado e acompanhado por ele. Pe. Pedro me ajudou a entender que ninguém nasceu para ficar com a vida para si mesmo, para aproveitá-la egoisticamente. Ou se dá a vida para Deus, através do matrimônio, da família, ou se dá a vida para Deus através do sacerdócio, da vida monástica, etc.



 Assim, comecei a descobrir horizontes com os quais nem sequer havia sonhado. Depois de concluído o ensino médio – Escola Estadual Francisco Villa Nova - ingressei no seminário menor Bom Pastor, no ano de 1998. No ano seguinte, fui para Várzea Grande – MT iniciar os estudos acadêmicos – Faculdade Sedac – Studium Eclesiástico Dom Aquino Correa - e também a nova etapa de formação no Seminário Maior São José. Tendo novamente como Reitor Pe. Hilário Mendes, e a partir do ano 2000 Pe. Antonio Rogério Gonçalves. Além da formação interna, fizeram parte no zelo da minha vocação o Pe. Guiomar, que na ocasião era o Reitor do Seminário da Diocese de Guiratinga, hoje já se encontra no coração de Deus. Pe. Guiomar foi meu confessor. E ainda como Diretor Espiritual  Pe. Nery – hoje, Bispo da Diocese de Juína - MT, e tantos outros que, de uma forma ou de outra, passaram pelos meus caminhos, transmitindo a alegria de ser padre. Realizei diversas atividades pastorais nas comunidades como também presença em casas de acolhida de pessoas de ruas.



 Após oito anos de formação e estudos, no dia 18 de Março de 2006 fui ordenado Diácono, juntamente com meu irmão de presbitério Pe. Valdomiro Assis, com o lema: “Senhor Tu me chamastes e o teu clamor venceu minha surdez” (S. Agostinho).



 No mesmo ano, dia 30 de Setembro, na ocasião da Memória de São Jerônimo e Vésperas de Santa Terezinha do Menino Jesus, em minha cidade natal – Salto do Céu - na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, fui ordenado sacerdote pela oração consecratória da Igreja e imposição das mãos do Bispo Diocesano Dom José Lima Vieira (Hoje, Bispo Emérito). Exerci meu ministério diaconal na Paróquia Nossa Senhora do Piliar, Jauru – MT e, em Dezembro de 2005, fui nomeado pároco da Paróquia São José no município de Figueirópolis d`Oeste – MT. Após três anos nesta paróquia, fui nomeado Reitor do  Seminário Menor Bom Pastor, na Cidade de Cáceres – MT e, atualmente, vigário da Paróquia São Luiz – Catedral.



 E para abrilhantar esta história vocacional, segue agora a espiritualidade do meu lema sacerdotal, baseado no livro de São João 21, 17-20: “Senhor, Tu sabes tudo, Tu sabes que eu te amo”. Este lema foi inspirado na leitura e meditação da obra Sempre discípulos de Cristo – Retiro interno da Cúria Romana - do Cardeal D. Claudio Humes. O ícone na capa do livro da pesca milagrosa já me introduzia na teologia petrina e no aprofundamento do chamado do Senhor em minha vida.



 Pois bem, em João 21,15-19, nos apresenta o encontro de Pedro com o Senhor ressuscitado. Assim, Jesus oferece a Pedro uma oportunidade pública de confessar arrependimento por amor: “Pedro, tu me amas?” Com certeza um exemplo notável daquilo que restabelece nosso relacionamento com o Senhor, depois do pecado. A tripla negação de Pedro é contrabalançada por esta tripla confissão de amor. Com isso, ele e o Senhor estão “como se fossem um”.



 Neste texto Jesus pergunta a Pedro se ele o amava no amor Divino (Ágape), mas Pedro responde a Jesus que o ama no amor fraternal ou de irmão (Philéo). Então Pedro se entristece e, quase chorando, professa sua adesão total a Cristo. A profissão de Pedro torna-se fundamentada no amor e nos ensina que o primado só se mantém no amor.  O amor em primeiro lugar. O amor no centro da missão. O amor por Cristo se expressa na vontade de sintonizar a própria vida com os pensamentos e os sentimentos de seu coração. Amá-lo significa permanecer em diálogo com Ele, a fim de conhecer a sua vontade e realizá-la prontamente. Nesta profissão petrina, realiza-se a missão de Jesus confiada Pedro, ou seja, “sê o pastor de minhas ovelhas”, ao que se acrescenta: “apascenta as minhas ovelhas”.



 Dessa forma,  o papel de pastor de Pedro está ligado ao amor e à disposição de dar a vida, e o ato de Pedro de dar a vida glorificou a Deus. O amor, amor total, abnegação, amor vivificante, manifesta (glorifica a Deus), pois essa é a natureza divina. Um ato de abnegação, de amor vivificante, é o nome de Deus proclamado diante do mundo.



 Assim como Pedro foi a pedra sobre a qual a comunidade cristã foi construída depois da morte e ressurreição de Jesus, assim também, não por mérito,  mas por graça, quero continuar a edificar o projeto de Deus por onde eu passar. Meu cansaço que a outros descansem.



 É nesta espiritualidade Petrina que celebro meu 7º ano de Sacerdócio. Ao fazer um retrospecto no itinerário da minha fé, eu afirmo com convicção “naquele que me fortalece”. Até aqui Deus não permitiu que eu sentisse saudades daquilo que não fui. Realmente só tenho que reder graças a Deus e aos sacerdotes, homens de Deus, que um dia na, pequena cidade de Salto do Céu, abriram-me horizontes. Ali percebi um ideal de vida: ser Padre. Minha gratidão a esta tão querida e amada Diocese à qual estimo – na pessoa honrosa de D. Antônio Emídio Vilar, SDB. Mesmo nas minhas limitações entrego literalmente a vida sem esquecerme do instrumento do qual se serviu a divina providência para manifestar sua inesgotável riqueza espiritual em meu ministério sacerdotal.



 Como a Virgem Maria, ao cantar seu Magnificat declarou as maravilhas de Deus em sua vida, assim, na minha pequenez, rasgo meu coração para cantar os prodígios que o Todo-Poderoso fez em minha vida. Maria ao responder prontamente ao chamado do Pai, disse: “Eis a escrava do Senhor” (Lc. 1, 32). Possa ser eu um simples escravo em favor das almas. Peço também, por sua infinita intercessão, nunca há de faltar, no seio do povo cristão, servos do Amor Divino, preparados para anunciar o Evangelho a todas as pessoas. Que Maria me ensine a ser imagem fiel do Bom Pastor para poder desempenhar com alegria a missão de conhecer, guiar e amar o rebanho a mim confiado, cumprindo sempre a vontade de Deus, sem jamais separar-me d'Ele.



 Convido meus caros leitores a rezar um poema de Santa Faustina, que muito me inspira e me motiva no meu sacerdócio.



A alma que ama a Deus e n'Ele confia;



Sob o olhar amoroso de Deus ela não se perturba;



Mantém-se tranqüila, abandona-se a



Ele Assim é a alma que ama a Deus Assim é a alma que ama.



A alma que clama a Deus e n'Ele confia Sob o olhar amoroso de



Deus ela não se perturba



Mantém-se contente, quieta e expectante E toda se encontra submersa em Deus E toda se encontra submersa.



Oh alma, que é como cavaleiro que luta o dia inteiro Guardando o castelo do Rei



A minh'alma se encanta e se apaixona por este Rei



Livre suspira por Ele, mergulha-se n'Ele,



Se entrega com ardor, mistério profundo de amor. Nada poderá destruir esse dom



Presente de Deus que é meu Bem, que é tão Bom.



Canta minh'alma esponsal ao Senhor Tão íntimo dom, sacrário de amor.



Canta inflamada por quem te quis



Canta minh'alma esponsal, minh'alma feliz



 O Pe. Aguinaldo Assunção Neves nasceu em Rio Branco – MT no dia 22 de Abril de 1981. Estudou Filosofia e Teologia no Sedac – Varzea Grande – MT, mas finalizou seus estudos em outras Universidades:



Licenciatura em Filosofia e pós-graduado em Docência do Ensino Superior na Faculdade Católica de Anápolis – GO e Bacharel em Teologia na Faculdade Dehoniana – Taubaté SP. E ainda Pós-graduado Formadores. Foi Assessor do Setor Juventude e Reitor do Seminário Menor Bom Pastor por três anos. Atualmente desempenha seu trabalho apostólico como Vigário da Catedral São Luiz e Chancelaria da Cúria Diocesana.